fbpx
O volume das fraldas de pano pode prejudicar o desenvolvimento do bebê?
março 11, 2020
Exibir tudo

Coronavírus: quarentena é tempo de cuidar das crianças e dos bebês

Neste momento de tantas apreensões, estar em casa com os filhos pode ser uma oportunidade que muitos pais e mães não teriam sob condições “normais” em suas rotinas. É preciso aproveitar esse período buscando serenidade, calma e harmonia no ambiente familiar e, sobretudo, cuidando da saúde de todos para que a doença fique longe de nossos lares.

A primeira coisa é tentar encarar esses dias dentro de casa de maneira mais leve, agradecendo por este espaço privado e seguro que é tão importante. Vamos agradecer pelo acolhimento proporcionado pela nossa casa. Ela não é uma prisão, mas uma proteção contra o coronavírus.

Em relação às crianças, elas não devem ser expostas a muitas informações em relação à pandemia. Ainda que elas possam não entender bem a dimensão do problema, falar muito sobre o tema com elas com muita frequência pode induzi-las a um estado de apreensão, ansiedade e medo desnecessários.

Como falar com elas

É preciso explicar para elas por que não podemos sair de casa, ir ao parque, à escola ou à casa de outras crianças. Mas isso pode ser feito de maneira menos assustadora, por assim dizer. Para ajudar nesse sentido, o Unicef listou 8 dicas para pais e mães lidarem melhor com o assunto entre seus filhos. 

Neste momento, é muito provável que as crianças já saibam sobre a doença. Por isso, a conversa pode começar com um convite para que elas contem o que já ouviram e sabem sobre o novo coronavírus. A partir daí, com sensibilidade, você pode continuar e falar mais, se este for o desejo das crianças.

É preciso ser honesto(a) com elas. Não minimize o problema, mas também não diga nada que possa deixá-las inseguras. Mostre a elas como vocês podem prevenir a doença, e explique que essas medidas de isolamento fazem parte dessa estratégia. Histórias, brincadeiras e canções são boas aliadas nessa hora.

Ofereça segurança a elas. Não deixe que elas assistam às notícias na TV ou outras mídias. Ao contrário, procure criar espaços e momentos para brincar e relaxar. Mantenha rotinas e ritmos o máximo possível. Isso ajuda a mantê-las seguras.

Você também pode contar a elas que as crianças não são tão propensas a contrair a doença, que muitas pessoas não ficam muito doente e que há muitos adultos trabalhando para manter a sua família e muitas outras em segurança.

Também pode ser interessante compartilhar com elas histórias reais de generosidade e compaixão que estão acontecendo em várias partes do mundo. Assim, ela sentirá que há uma rede de proteção e de pessoas boas trabalhando para que as coisas fiquem bem.

Alimentação saudável

Não precisamos reinventar a roda aqui. Procurem manter as orientações feitas nas consultas de rotina ao pediatra e/ou nutricionista. Tentem, ao máximo, manter o ritmo de horários das refeições. Priorizem frutas, verduras e legumes. Cereais e leguminosas são ótimas opções, pois são menos perecíveis. 

Para ficar mais claro, é bom evitar alimentos industrializados e também aumentar a oferta de líquidos, de preferência, água. Com a mudança da estação, o ar fica mais seco e é bom cuidar da boa hidratação.

No caso dos bebês, o aleitamento materno continua sendo igualmente importante. Até o momento, as pesquisas não detectaram vírus no leite materno e, no caso das gestantes, no líquido amniótico. Como sabemos, o leite materno ajuda na imunidade dos bebês, um motivo a mais para mantê-la nesse período.

Se a mãe estiver resfriada, gripada, com algum sintoma como tosse ou, ainda, estiver no grupo de profissionais essenciais que continuam trabalhando na quarentena (e, portanto, em contato com outras pessoas), é recomendável que amamente usando máscara, para reduzir o risco de contágio para a criança.

Cuide de você

Mãe e pai são as principais referências das crianças. Por isso, como sugere o Unicef, você poderá ajudar melhor suas crianças pelo seu próprio exemplo. Procure não deixar que elas percebam sua apreensão com as notícias. Sua calma fará as crianças a sentirem que você e os demais adultos próximos estão no controle da situação.

Um ambiente familiar tranquilo, com adultos calmos, faz toda diferença para as crianças. Então, antes de pensar no que você pode fazer para manter as crianças tranquilas, que tal pensar no que você pode fazer para manter a sua tranquilidade?

Quem dá colo, às vezes também precisa de colo. Se o medo ou a ansiedade aumentarem, reserve um tempo para si mesma. Procure pessoas queridas, converse, desabafe, faça coisas que ajudem a restabelecer a serenidade. Sabemos que é difícil. Mas é preciso tentar. Por você e pelas crianças.

Vamos juntos vencer o coronavírus!

Texto por Giuliana Capello

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *